Especialistas recomendam quando e qual doce comer para não comprometer a dieta

Infelizmente, a hora ideal para devorar um chocolate não é quando bate aquela vontade incontrolável.

De acordo com os especialistas, existe sim um momento mais adequado para saciar esse desejo: depois das principais refeições.

“O melhor horário é depois do almoço, pois o açúcar se mistura com outros nutrientes ingeridos, como fibras da salada, proteínas e gorduras da carne, e evita picos de insulina no sangue”, recomenda a nutricionista Gabriella Guerrero, da consultoria Nutriessencial.

Quando ingerimos doces de barriga vazia, os níveis de açúcar no sangue aumentam rapidamente, o que provocaria esse pico. Essa oscilação não é saudável, e pode estar relacionada com diabetes, obesidade e outras doenças.

Leia também: O que comer à noite para saciar a fome sem acabar com a dieta

A endocrinologista Claudia Cozer, da Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica), explica que ao comer um carboidrato acompanhado de outro grupo alimentar o estímulo de secreção da insulina é menor.

“Por isso, sempre recomendamos a ingestão de uma proteína junto com o carboidrato, para minimizar os efeitos sobre a insulina”, afirma.

Além disso, satisfeito pela refeição, a tendência é que a quantidade consumida seja menor e mais bem regulada. Perder o controle e devorar uma caixa de bombons, por exemplo, é mais incomum nesse momento.

Outro período ideal, sugerem os nutricionistas, é antes ou depois das atividades físicas. Pré-exercício, o doce ajuda a dar ânimo e energia; pós-treino auxilia na recuperação do glicogênio muscular. “Antes da prática de uma atividade física dará ao organismo a possibilidade de queimar essas calorias”, diz o nutrólogo e fundador do Instituto de Medicina Integrada, Health4Life, Mohamad Barakat.

Quer comer quanto?

Mesmo nas dietas mais restritivas, os especialistas não costumam recomendar a suspensão total do doce, ainda mais para quem gosta e sente necessidade. Mas há uma cota que deve ser respeitada e pode ser diária ou semanal, dependendo da avaliação profissional de cada caso. “Se está com sobrepeso, indicamos 120 calorias no máximo. Se a pessoa é magra e está com a saúde em dia, essa quantidade pode aumentar”, diz Cozer.

Se o objetivo é emagrecer, a recomendação costuma ser “doces somente aos finais de semana” e sempre respeitando a quantidade. Mas os especialistas já entendem que, quando a vontade bate com intensidade, o melhor é satisfazê-la.

“Nesses casos, se deixar para comer no final de semana, em vez de um pedaço de chocolate come um pedaço enorme de torta de limão”, avalia. O segredo, diz ela, está na quantidade (pouca) e na frequência (no máximo duas vezes por semana)

O melhor doce

Alguns alimentos são menos prejudiciais à dieta do que outros. As melhores opções são sempre aqueles com menos gorduras e calorias. O chocolate ao leite costuma ser um dos grandes vilões na luta contra os quilos em excesso, o ideal é optar pela versão amarga, com mais cacau e menos gordura.

Os preferidos dos nutricionistas – e, por isso, os mais indicados – são as frutas, de preferência frescas ou em caldas. Sorvetes de frutas (palito) ou de iogurte, gelatinas e pudins light também podem ser opções interessantes.

Cinco doces para comer sem culpa (e que podem entrar na ceia de Ano Novo)

Frutas são a base para sobremesas saudáveis e pouco calóricas. Mas um chocolate de vez em quando não mata ninguém

Já houve o tempo em que fazer dieta consistia em combinar disciplina com matemática. Disciplina para se manter fiel às rigorosas regras impostas por nutricionistas e médicos. E matemática para contar calorias e ver se a soma delas seria menor que os gastos calóricos do dia. Emagrecer era como um desafio militar.

Funcionou para muitas pessoas, embora inúmeras outras tenham desistido no caminho. E pior: cada desistência representava um sério risco de efeito sanfona. Perdia-se um pouco de peso no início, mas depois tudo era recuperado com até alguns quilinhos a mais de brinde.

Hoje, a estratégia de muitas nutricionistas é diferente, um pouco mais, digamos, permissiva. Não é preciso tanta rigidez para emagrecer ou manter o peso desejado. Comer é algo prazeroso e isso não pode ser negado. Comer é também algo necessário para a saúde, algo que deve ser feito com equilíbrio para suprir as necessidades do corpo.

Leia também: O que comer à noite para saciar a fome sem acabar com a dieta

“Contar calorias não é mais o objetivo da nutrição, temos que levar em conta as vitaminas, minerais, fibras e tornar isso tudo prazeroso e parte da alimentação diária”, explica a nutricionista Mariana Froes, do Centro Multidisciplinar da Dor (CMD), no Rio de Janeiro.

E o melhor de toda a história é que não precisamos excluir a sobremesa de nossas refeições. Isso mesmo. Um docinho depois do almoço ou do jantar não faz tão mal para o corpo, nem pesa tanto na balança. Não precisa passar as festas de final de ano em uma guloseima sequer, por exemplo. Basta saber quais doces escolher e quanto deles você pode aproveitar.

Qual o horário do doce?

Os doces podem até ser apreciados como refeição intermediária, entre almoço e jantar, como lanche da tarde. Afinal, uma das principais recomendações para se manter em forma é fracionar as refeições. Uma dica interessante é comer uma fruta antes de saborear o doce.

E ainda: veja receitas e substituições para emagrecer a ceia sem perder o sabor

“Isso pode aumentar a saciedade. Assim a pessoa ingere menos doce, e essa ingestão é feita mais pelo prazer do que pela fome”, explica a nutricionista Vanderlí Marchiori, secretária geral da Associação Brasileira de Nutrição Esportiva.

Doce no final de ano

Nos doces mais calóricos, típicos de final de ano, a especialista recomenda substituir o creme de leite por creme de soja. “A receita fica muito parecida”, garante. E também vale usar leite condensado light para reduzir a quantidade de calorias.

Dá para incluir sorvete na dieta, sim! Veja dicas e aproveite

O iG Saúde ouviu nutricionistas e separou cinco sugestões de doces para comer sem culpa. São alternativas com bons valores nutricionais, que também ajudam a manter a pele bonita e previnem doenças. Veja só:

Gelatina com frutas:

gel

Pedaços de frutas realçam o sabor da gelatina e deixam a sobremesa mais atraente

Acrescente pedaços de frutas em potes pequenos ou grandes de gelatina. A fruta não precisa ser necessariamente a mesma do sabor da gelatina. Gelatina de morango combina com outras frutas vermelhas. Já a gelatina de abacaxi pode se sair bem com pedaços de frutas cítricas

Mousse de maracujá:

mu

Mousse de maracujá

Parece mentira, mas dá para aproveitar um belo mousse de maracujá sem precisar sentir culpa depois. Primeiro, troque o leite condensado por leite condensado light. Depois, use creme de soja em vez de creme de leite. Como o sabor do maracujá é muito forte, ele irá predominar na receita, apesar das alterações. Cítrico e geladinho, combina com o verão. Só não coma mais do que uma porção (cerca de 4 colheres de sopa).

Frutas em calda ou compotas:do

Compota de figo

Os dois grandes atrativos destes doces são variedade e praticidade. “Várias frutas já são comercializadas neste formato e também é possível prepará-las em casa”, observa a nutricionista Vanderlí Marchiori. Elas são ricos em vitaminas e capazes de satisfazer o desejo por doces, mas sem ser carregadas em calorias. Mesmo assim, a recomendação é desfrutar sem exageros

Picolés de frutas e sorvete natural de banana:pi

Sorvete de banana com canela: receita simples e refrescante

Esses são os sorvetes menos calóricos que existem. E não precisa ser diet. Cada unidade tem entre 60 e 110 calorias, dependendo da marca e da fruta que dá base ao sorvete. Dá para comer sem tanta paranóia. Só evite as coberturas e outras combinações, pois elas podem triplicar o número de calorias do sorvete. “São boas opções para o verão”, ressalta Vanderlí.

Outra alternativa é o sorvete natural de banana. “Congele bananas maduras com casca, em papel manteiga. Tire a casca, bata no liquidificador com cacau e consuma imediatamente”, ensina Mariana.

 

Bomba de chocolate:ch

Dá para queimar uma bomba de chocolate com 30 minutos de corrida

Se você gosta de chocolate, coma chocolate. Para que se privar deste prazer? Esse doce delicioso tem também seus atrativos nutricionais. Ele pode ajudar na produção de serotonina, que proporciona sensação de bem-estar e até ameniza sintomas da TPM. Chocolate ainda contém antioxidantes, substâncias que retardam o envelhecimento das células e favorecem o sistema circulatório. Por fim, uma bomba de chocolate tem menos calorias do que você imagina. São cerca de 300, dá para queimar em 30 minutos de corrida. Só não vale comer todo dia, ser sedentário e ainda querer emagrecer. Ai, é pedir demais, não?